Home

Filinto Elísio (Cabo Verde, 1961)

Boa_vista

en el desierto de viana
el cielo tiene dunas de tantos colores
y el silencio vano piensa palabras primordiales
huellas en la arena
pedazos de árboles & bocados de vidrio
cadáveres de barcos
sus en_calles de historias muchas
dice la memoria
de la pareja de enamorados presos en los es_combros
dice la memoria del arco-iris de esas dunas
sus nau_fragios guardados en una concha
fantástica isla
lundú bonito & ruinas de iglesia…


Boa_vista

 

no deserto de viana
o ceo ten dunas de tantas cores
e o silencio van pensa palabras primordiais
pegadas na area
anacos de árbores & bocados de vidro
cadáveres de barcos
seus en_calles de historias moitas
di a memoria
do casal de namorados preso nos es_combros
di a memoria do arco-iris desas dunas
seus nau_fraxios gardados nunha cuncha
fantástica illa
lundú bonito & ruínas de igrexa…


Boa_vista

 

no deserto de viana
o céu tem dunas de tantas cores
e o silêncio vão pensa palavras primordiais
pegadas na areia
pedaços de árvores & bocados de vidro
carcaças de barcos
seus en_calhes de histórias muitas
diz a memória
do casal de namorados preso nos es_combros
diz a memória do arco-íris dessas dunas
seus nau_frágios guardados numa concha
fantástica ilha
lundú bonito & ruínas de igreja…

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s