Home

masumi hayashi 2

Imagem: Masumi Hayashi

 

Vasco Gato. A Fábrica. (Língua Morta, 2013)


FLUVIOGRAFIA

 

Não se trata de viagem

com itinerário.

A espuma decifrada oculta ainda

um leito que jamais

renunciará

ao seu insuspeito modo de amar:

sugar lentamente

os dedos incautos

com que atestamos a frieza das águas.

Tudo o que esperámos

terminou cilindrado

sob o sigiloso motim

das horas reais,

e só assim se pôde encarar a paisagem

em que de facto estávamos

e de facto fingíamos.

As viagens só são belas

para quem não as faz.

Nós, munidos de trapos e

especiosas madeiras,

estremunhados de todos os dias,

mergulhámos no tenebroso e desidêntico

vocábulo da vida: isto.


FLUVIOGRAFIA

 

No se trata del viaje

                    como itinerario.

La espuma descifrada oculta todavía

             un lecho que jamás

             renunciará

a su insospechado modo de amar:

                             sorber lentamente

            los dedos incautos

con que colmamos la frialdad de las aguas.

                                Todo lo que esperamos

terminó apisonado

                   bajo el sigiloso motín

de las horas reales,

y sólo así se puede encarar el paisaje

                         en que de hecho estábamos

                         y de hecho fingíamos.

Los viajes solo son bellos

                                para quien no los hace.

Nosotros, abastecidos de trapos y

fuleras maderas,

                 aturdidos por todos los días,

nos sumergimos en el tenebroso e inidéntico

vocablo de la vida: esto.


FLUVIOGRAFIA

 

Non se trata da viaxe

                    coma itinerario.

A escuma descifrada oculta aínda

             un leito que xamais

             renunciará

ao seu insospeitado modo de amar:

                             zugar lentamente

            os dedos incautos

con que ateigamos a frialdade das augas.

                                Todo o que agardamos

terminou cilindrado

                   baixo o sixiloso motín

das horas reais,

e só así se pode encarar a paisaxe

                         en que de feito estabamos

                         e de feito finxiamos.

As viaxes só son belas

                                para quen non as fai.

Nós, abastecidos de trapos e

especiosas madeiras,

                 atordados por todos os días,

mergullamos no tebroso e inidéntico

vocábulo da vida: isto.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s