Home

Ernesto Kavi. La luz impronunciable. 2016, Sexto Piso.

Canto V

Falei com o meu coração e disse

olha a alegria

olha

                         a felicidade

 

tudo é vento

 

descobri

o bem dos homens

as obras que constroem debaixo do céu

a conta dos dias da vida

                                                debaixo do sol

 

olhei ao alto

construí palácios

plantei vinhas

            jardins

                  parques

                        árvores de cada fruto

                    fontes

de água para irrigar

a azinheira a figueira

a lei a aliança

que nasce entre nós

 

nunca neguei aos meus olhos

o que desejaram nunca

            a alegria

ao meu coração o meu trabalho

foi a sua fortuna a sua felicidade

a herança

da minha pena

 

e admirei

as obras

que obtive

das minhas mãos

 

Falei com o meu coração

e disse

debaixo do sol

nada perdura

 

uma eternidade sem memória devora-nos

 

***

 

Enfureci-me contra a vida

porque tudo como um fruto

apodrece

             debaixo do sol tudo

é vão vento

que devora o vento

 

Enfureci-me contra as minhas obras

Debaixo do sol sofri

Tudo perderei nesta terra tudo

deixarei aos que virão

depois de mim

Serão os donos do saber

do meu trabalho

                     da minha dor debaixo do sol

tudo é vento

 

***

Vi o desespero debaixo do sol

árduo trabalho

 

Do seu esforço nada

Resta ao homem

debaixo do sol nada

do desejo

no seu coração

De dia sofre

De noite carece de pálpebras

a sua dor


Hablé con mi corazón y dije

mira la alegría

mira

                         la felicidad

 

todo es viento

 

descubrí

el bien de los hombres

las obras que construyen bajo el cielo

la cuenta de los días de la vida

                                                bajo el sol

 

miré a lo alto

construí palacios

planté viñas

            jardines

                  parques

                        árboles de todo fruto

                    fuentes

de agua para irrigar

la encina la higuera

la ley la alianza

que nace entre nosotros

 

nunca negué a mis ojos

lo que desearon nunca

            la alegría

a mi corazón mi trabajo

fue su fortuna su felicidad

la herencia

de mi pena

 

y admiré

las obras

que obtuve

de mis manos

 

Hablé con mi corazón

y dije

bajo el sol

nada perdura

 

una eternidad sin memoria nos devora

 

***

Me enfurecí contra la vida

porque todo como un fruto

se pudre

             bajo el sol todo

es vano viento

que devora el viento

 

Me enfurecí contra mis obras

Bajo el sol sufrí

Todo perderé en esta tierra todo

lo dejaré a los que vendrán

después de mí

Serán los dueños del saber

de mi trabajo

                     de mi dolor bajo el sol

todo es viento

 

***

Vi la desesperación

bajo el sol

arduo trabajo

 

De su esfuerzo nada

queda al hombre

bajo el sol nada

del deseo

en su corazón

Por el día sufre

por la noche carece de párpados

su dolor



Revisora da tradução para o Português: Sara I. Veiga

Anúncios

One thought on “A luz impronunciável. Canto V. Ernesto Kavi

  1. Pingback: Ernesto Kavi | tr3sreinos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s