Home
Imaxe: Jan Svankmajer

 

 Míriam Ferradáns. Deshabitar unha casa. 2017

A depredación é inhumana ou non é.

Cravamos os dentes na carne fértil a brotar de sangue

e seguimos,

seguimos ata atopar a vea.

Precisamos da orxía no momento animal,

esgazar as fibras cun coitelo,

mastigar a morte allea, condimentada

e xustificar

o paradoxo da supervivencia.

As gatas procuran os paxaros

pero non se axitan

porque saben que algún día

os terán na boca.


A depredação é inumana ou não é.

Cravamos os dentes na carne fértil a brotar sangue

e seguimos,

seguimos até encontrar a veia.

Precisamos da orgia no momento animal,

rasgar as fibras com uma navalha,

mastigar a morte alheia, temperada

e justificar

o paradoxo da sobrevivência.

As gatas procuram os pássaros

mas não se agitam

porque sabem que algum dia

os terão na boca.


La depredación es inhumana o no es.

Clavamos los dientes en la carne fértil brotando en sangre

y seguimos,

seguimos hasta encontrar la vena.

Necesitamos la orgía en el momento animal,

desgarrar las fibras con un cuchillo,

masticar la muerte ajena, condimentada

y justificar

la paradoja de la supervivencia.

Las gatas buscan a los pájaros

pero no se agitan

porque saben que algún día

los tendrán en la boca.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s