Home

Ilustracións: Xulia Nieto Pereira 

Emma Pedreira. Antídoto. Alvarellos, 2018.

EQUILIBRIO DA RUÍNA

 

Temo iniciar a perífrase do voo

da voz

do avance.

 

Ou partir a póla na que asento

concluír o equilibrio da ruína e refusar a sombra.

 

Que me dis?

Só quería falar con algo que non fose espello

ou parte da tribo.

Algo que tivese menos de min

 

ou de oráculo.

 


EQUILÍBRIO DA RUÍNA

 

Temo iniciar a perífrase do voo

da voz

do avanço.

 

Ou partir o ramo no que assento

concluir o equilíbrio da ruína e recusar a sombra.

 

Que me dizes?

Só queria falar com algo que não fosse espelho

ou parte da tribo.

Algo que tivesse menos de min

 

ou de oráculo.


EQUILIBRIO DE LA RUINA

Temo iniciar la perífrasis del vuelo

de la voz

del avance.

 

O partir la rama en la que me asiento,

concluir el equilibrio de la ruina y rechazar la sombra.

 

¿Qué me dices?

Sólo quería hablar con algo que no fuese espejo

o parte de la tribu.

Algo que tenga menos de mí

 

o de oráculo.


Revisora da tradução para o Português: Sara I. Veiga

Versión en castellano de la propia autora.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s