Home

Imagem: Quay brothers

Vaso Gato, Primeiro Direito (Artefacto, 2016)

A treva quietíssima do quarto mascarra-te

a respiração.

Antes perceber no sono

que o fim te ameaça

do que tropeçar num dos abismos aveludados

do quotidiano.

.

O que será agora germinar?

.

Talvez o suor em que flutuas

seja o nutriente necessário.

Talvez a medusa da febre

possa enredar-se

no teu futuro.

.

Porque agora tens a imagem da fossa

em que passaste anos a esbracejar

no simulacro da natação.

.

Compreendes que o movimento

não é em si um bem.

Que só a verdade de um gesto

o pode isentar da moeda nefasta

da riqueza.

.

Não mastigues.

Não engulas.

Esta é a madrugada em que sairás

pelo teu próprio pé para sepultar

na serenidade dos lagos

os erros transactos.

Nunca desprezes um baptismo,

muito menos o da tua

.

quase morte.

.

La tiniebla quietísima del cuarto tizna

tu respiración.

Antes entender en el sueño

que el fin te amenaza

que tropezar en uno de los abismos aterciopelados

de lo cotidiano.

.

¿Qué será ahora germinar?

.

Tal vez el sudor en que flotas

sea el nutriente necesario.

Tal vez la medusa de la fiebre

pueda enredarse

en tu futuro.

.

Porque ahora tienes la imagen de la fosa

en que pasaste años braceando

en el simulacro de la natación.

.

Comprendes que el movimiento

no es en sí un bien.

Que solo la verdad de un gesto

lo pode dispensar de la moneda nefasta

de la riqueza.

.

No mastiques.

No tragues.

Esta es la madrugada en la que saldrás

Por tu propio pie para sepultar

en la serenidad de los lagos

los errores pasados.

Nunca desprecies un bautismo,

mucho menos el de tu

.

casi muerte.

.

A tebra quedísima do cuarto lúxate

a respiración.

Antes percatarse no sono

que o fin che ameaza

do que tropezar nun dos abismos aveludados

do cotiá.

.

O que será agora xermolar?

.

Talvez a suor en que aboias

sexa o nutrinte necesario.

Talvez a medusa da febre

poida enredarse

no teu futuro.

.

Porque agora tes a imaxe da fosa

na que pasaches anos a bracear

no simulacro da natación.

.

Comprendes que o movemento

non é en si un ben.

Que só a verdade dun xesto

o pode eximir da moeda nefasta

da riqueza.

.

Non mastigues.

Non engulas.

Esta é a madrugada na que sairás

polo teu propio pé para sepultar

na serenidade dos lagos

os erros pasados.

Nunca despreces un bautismo,

moito menos o da túa

.

case morte.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s