Home

Home

Poemas de Luis Carballo e fotografías de Xoel Gómez

VIGILIA

No sucumbe bajo al narcótico

porque el latido llama y la semilla persevera

quizá el encuentro de un reflejo

con distancia de sangre

escasa porque trasiega la herida a la mortaja.

Arrebatados del púlpito de la omnisciencia,

libros que te despiertan, o no te dejan dormir,

espejos impares, y por la mañana

sobre los colchones, flotan los cadáveres.

VIGÍLIA

Não sucumbe sob o narcótico

porque o batimento chama e a semente persevera

talvez o encontro de um reflexo

com distância de sangue

escassa porque trasfega a ferida à mortalha.

Arrebatados do púlpito da omnisciência,

livros que te acordam, ou não te deixam dormir,

espelhos ímpares, e de manhã

sobre os colchões, flutuam os cadáveres.

Revisora da tradução para português: Sara I. Veiga

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s